AirBnb é confiável? Veja 7 dicas de segurança para alugar acomodação no site

AirBnb é confiável? Veja 7 dicas de segurança para alugar acomodação no site

Confira os golpes mais comuns na plataforma e como não cair em armadilhas

Em 2008,  os estudantes Nathan Blecharczyk, Brian Chesky e Joe Gebbia criaram o AirBnb, site que rapidamente conquistou viajantes de todo o mundo ao conectar anfitriões a hóspedes. A plataforma faz a mediação e facilita o anúncio de propriedades para aluguel de temporadas em acomodações com diferentes características, por todo o globo. Seja para relaxar ou se aventurar, passar as férias com a família ou com os amigos, os clientes podem escolher entre opções que vão de castelos e cabanas a  casas e apartamentos funcionais. 

Porém, recentemente, escândalos envolvendo esquemas fraudulentos foram descobertos por todo o mundo. Em 2018, nos Estados Unidos, a repórter Allie Conti, do site VICE, acidentalmente descobriu um esquema de fraudes a nível nacional que se aproveitava de brechas nos termos de cancelamento do AirBnb. Os golpistas, segundo a jornalista, atuavam em pelo menos oito cidades americanas com mais de 100 propriedades anunciadas.

Segundo o AirBnb, estão entre os golpes mais comuns identificados: o recebimento de e-mails falsos com ofertas que não estão anunciadas, solicitações de pagamentos de taxas adiantadas ou de valor acima do publicado no site, mudanças na reserva por outros meios fora da plataforma. E um dos mais perigosos, o golpe do phishing direciona a pessoa a sites falsos, que podem se parecer com do AirBnb, na intenção de adquirir informações confidenciais, como senhas ou outros endereços de e-mail por meio de malwares. 

Mesmo com a possibilidade de se hospedar em castelos ou casas que foram locações de filmes de Hollywood, todo cuidado é pouco. Para não cair nesse tipo de golpe, algumas atitudes podem te ajudar a ter uma experiência mais segura no site, como:

Desequalizando/Luísa Ágnes

1. Verificar as avaliações da propriedade

Entrar em contato com pessoas que já tenham se hospedado no local, por meio de avaliações e comentários, é uma boa forma de avaliar a veracidade das informações disponibilizadas pelo anfitrião. Entre reclamações e elogios, vale ficar atento em detalhes como relatos parecidos ou muito curtos, e checar o perfil de quem avaliou. Se a propriedade for nova na plataforma, pode procurar por outros imóveis da mesma pessoa e conferir as avaliações.

2. Se comunicar com o dono da casa sempre pela plataforma do AirBnb

Caso precise de alguma informação adicional ou solicitar algo, entre em contato diretamente pela plataforma. Dessa maneira, todos os acordos e conversas ficam registrados, te resguardando para caso aconteça algum problema no futuro e precise comprovar o combinado entre hóspede e anfitrião.

3. Nunca pagar em dinheiro ou outra forma de pagamento além da oferecida pelo site

Todo e qualquer pagamento deve ser feito diretamente pela plataforma. Se um anfitrião pedir que pague em dinheiro ou por transferência bancária, notifique o AirBnb imediatamente e corte o contato com a pessoa.

Desequalizando/Luísa Ágnes

4. Se o negócio te parece muito bom para ser verdade, fique atento 

Se encontrou um local com preço muito abaixo da média geral a outros na mesma região ou período, desconfie. Especialmente se a data da reserva estiver próxima. Por exemplo, um apartamento de dois quartos, totalmente reformado em Ipanema por R$ 1.500, um dos metros quadrados mais caros da cidade, pode ser sinal de golpe. 

Número elevado de reviews curtas, poucas fotos ou múltiplos alertas de cancelamentos podem ser sinais de que há algo de errado com a propriedade. 

5. Pesquisar sobre o anfitrião

Uma breve busca no Google e nas redes sociais, podem te dizer um pouco sobre seu anfitrião. Alguns já disponibilizam nas descrições suas redes sociais. Saber um pouco mais sobre quem irá te receber, além de trazer mais segurança, pode ser uma forma de descobrir gostos em comum e ter um motivo para puxar assunto, caso se conhecerem pessoalmente.

Reprodução/NESA by MakersUnsplash

6. Tirar fotos da propriedade ao chegar e ao sair

Para provar – e se defender, se necessário – contra alegações de dano no local de hospedagem, os viajantes podem fotografar e filmar o espaço. É indicado que se faça ao chegar e ao sair. Caso seja necessário reclamar sobre algum problema notado ainda na chegada, as fotos irão mostrar as condições encontradas em defesa do hóspede.

7. Conferir se o endereço existe

Uma simples busca no Google pode evitar dores de cabeça futuras como descobrir que o endereço não existe ao chegar no destino – isso já aconteceu. Por isso, em uma breve pesquisa no Google Maps, confira o local exato e aproveite para checar se a localização te agrada.

Luísa Ágnes

Jornalista de 24 anos apaixonada por cultura pop e pelo setor criativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *